Por Henrique Ruocco

Exercitar o quociente de inteligência, o famoso QI, dificilmente será sinônimo para se obter sucesso, uma vez que muitas pessoas inteligentes são introvertidas, ou possuem alguma deficiência de relacionamento. De acordo com Joanne Trotta, fundadora e sócia-gerente da Leaders Edge Inc., pessoas que possuem um QI médio, superam aquelas com QI alto, quase 70% do tempo. Mas, por quê? Qual o motivo disso? A resposta chama-se Inteligência Emocional, ou QE.

O QI sozinho não possui força suficiente para alcançar o sucesso. É preciso saber interagir com pessoas e se relacionar. Por isso, vamos discutir nessa série de três artigos a importância da inteligência emocional dentro da metodologia ágil, especificamente no dia a dia do Scrum Master.

Mas, por que do Scrum Master? Como sabemos, para desempenhar este papel é preciso possuir um grande leque de habilidades e experiências, pois sua responsabilidade é gerenciar os impedimentos que vão além da capacidade de uma equipe auto-organizada, impedindo-os de atingir o objetivo da sprint e de executar diversas funções dentro do time, dentre elas:

• Garantir que o time suporte o processo do Scrum;
• Criar equipes de alto desempenho e com as habilidades necessárias para entregar valor;
• Acompanhar os conflitos e analisar como os integrantes lidam com os atritos;
• Ajudar na tomada de decisões;
• Apoiar o P.O. (dono do produto), na estruturação do backlog do produto, visando agregar mais valor ao negócio a fim de melhorar o ROI;
• Acompanhar todo fluxo da sprint, tornando as etapas mais visíveis aos envolvidos;
• E não podemos deixar de falar que é um papel fundamental para a disseminação do framework dentro da cultura organizacional.

Ou seja, podemos concluir que a principal atividade de um Scrum Master é lidar com pessoas o tempo todo.

Inteligência cognitiva vs Inteligência emocional

Diariamente, concentramos nossos esforços em estudos para aprimorarmos nossos conhecimentos que nos auxiliam na realização de todas nossas tarefas, trabalhando o desenvolvimento da nossa inteligência cognitiva. E nos esquecemos do quão importante são as emoções dentro da correria do nosso dia a dia. Afinal, lidamos na maior parte do nosso tempo com pessoas e não máquinas.

Inteligência cognitiva vs Inteligência emocional

Mas, o que são essas inteligências e como elas estão ligadas ao nosso cotidiano?

Resumidamente, a inteligência cognitiva consiste na manipulação de informações que podemos extrair por meio de valores, ideias e experiências. Em consequência, somos capazes de conseguir aprender novas coisas a partir de atividades cerebrais que já foram elaboradas. Quando lemos um livro, por exemplo, podemos aprender coisas novas ou até mergulhamos em um mundo diferente, e é nesse momento que desenvolvemos nossa inteligência cognitiva. É por meio dela que conseguimos distinguir o que é um dado concreto ou abstrato em nossa mente.

Já a inteligência emocional, de maneira bem simples, é a capacidade de reconhecer e conseguir controlar as próprias emoções. E, se desenvolvida, pode ajudar a guiar seus esforços, comportamentos e pensamentos ao ponto de melhorar seus relacionamentos cotidianos. Elas são definidas em quatro atributos, que seriam Autogestão, Autoconsciência, Consciência Social e Gerenciamento de Relacionamento. Na parte II, veremos mais a fundo como cada uma delas funciona.

O elo entre o Scrum Master e a inteligência emocional

Se você reparar, a interação entre pessoas dentro ou fora de times, muitas vezes, não é fácil. Isto porque equipes são compostas por pessoas e cada uma possui suas particularidades. Em muitos casos, atritos entre os membros acabam se tornando comuns devido a não aceitação do outro. E isso pode literalmente levar o time ao fracasso, gerando desânimo, frustração, ansiedade, receio de demonstrar uma opinião e outras diversas situações negativas.

Como o principal papel do Scrum Master é gerenciar os impedimentos do time, ter sua inteligência emocional trabalhada, torna-o capaz de lidar com essas ocasiões de uma forma mais maleável, pois conseguirá observar e entender melhor a situação sem agir de forma explosiva. Esse modo de agir “sereno” pode ser contagiante e influenciar positivamente o time a pensar melhor diante de uma situação. 

Além disso, um Scrum Master emocionalmente exercitado pode trazer outros benefícios ao time, como por exemplo:

• Auxiliar no reconhecimento e resolução de conflitos de maneira imparcial;
• Elevar a moral do time e ajudar a explorar o potencial dos membros;
• Enxergar oportunidades que outros não as reconhecem;
• Adaptar-se melhor às mudanças, isto é, ser resiliente;
• Lidar de maneira eficiente com o cliente, negociando ou explicando melhor as situações;
• Preparar o time emocionalmente para que no futuro seja autogerenciável e consiga, sozinho, lidar com problemas.

Mas, como esses quatro atributos da inteligência emocional podem se relacionar com os cinco valores do Scrum? No próximo post, vamos abordar um pouquinho como eles estão interrelacionados, não percam!

Henrique Ruocco é Pós-Graduado em Administração de Projetos, possui quase 10 anos de experiência profissional na área de TI. Apaixonado pela área ágil, principalmente Scrum, adora ler e estudar assuntos relacionados ao tema. É Professional Scrum Master I, Professional Product Owner I e II e Professional Scrum with Kanban. Nas horas vagas, gosta de pegar um lápis e borracha para rabiscar alguns desenhos.

Quer acelerar a transformação digital da sua empresa?_

Nós te ajudamos a prever tendências e alcançar objetivos futuros.

Telefone +55 (11) 3504-1100 Email contato@programmers.com.br                    Entre em contato