Por Thiago Goulart

Neste artigo, tentei entender o que podemos ver, estudar e aplicar em 2020 para a área de QA (Quality Assurance). Com isso, vamos conhecer um pouco das tecnologias, ferramentas e boas práticas, a fim de embasar nossos estudos e até colocar em ação alguns aspectos que podem ser tendência para a área de qualidade de software, e assim evoluir na carreira.

Entenda como levantei as informações para escrever este artigo:

  • Listei tudo o que eu conheço de tecnologias, ferramentas, modelos de trabalho, e que tem chance de crescer em na área de QA em 2020;
  • Somei conteúdo de diversos sites e artigos – cujo as fontes estão no final deste artigo;
  • E por fim filtrei esse amontoado de itens com base no que eu acredito que poderemos aplicar na prática.

Sim, esse artigo é baseado em fatos reais nas minhas vivências, de amigos, colegas de trabalho, faculdade, projetos, comunidade, etc. Se para você faz sentido o compartilhamento de experiências, então vamos ao que interessa.

Testes de Segurança

Está previsto para agosto de 2020 o início da vigência da lei conhecida como LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), e apenas isso seria o suficiente para justificar a presença deste item na lista.

Porém, além disso, temos um nicho de atuação bem específico, que tende a crescer a cada ano: os testes de segurança. Muito mais do que forçar uma URL, os testes de segurança buscam encontrar vulnerabilidades que podem trazer riscos de segurança ao software, base de dados, servidores, etc.

Com certeza vale a pena dar uma olhada no assunto, nem se for para não perder as discussões que vão rolar.

Testes em IoT

A curva de crescimento da quantidade de dispositivos IoT é gigante, e quem falou isso não fui eu, e sim a Gartner, que espera mais de 20 milhões de dispositivos conectados à rede, e esse número não considera smartphones, computadores, etc, apenas dispositivos com funções específicas e dedicadas.

E com a crescente adoção de IoT, mais dispositivos serão lançados, produzidos, e claro, precisam ser testados. E neste caso, quem estiver a fim de entrar nessa, precisa começar a evoluir na área de testes pelos seguintes pontos:

  • Testes de segurança;
  • Usabilidade;
  • Compatibilidade, versionamento e protocolo dos dispositivos;
  • Monitoramento de conexões;
  • Escalabilidade;
  • Integridade de dados;
  • Protocolos de comunicação.

Claro que existe MUITO mais para estudar e outras habilidades para se adquirir a fim de testar IoT. Mas se você gosta, mergulhe de cabeça, afinal o mercado só aquece.

Inteligência Artificial e Machine Learning

Essa é uma tendência que já existe algum tempo e que ainda não saiu do radar. Com isso, listei alguns pontos sobre como a Inteligência Artificial (AI) e Machine Learning (ML) podem e estão sendo utilizados nos testes:

  • Análise de Logs;
  • Priorização de cenários de teste;
  • Cobertura de requisitos a partir de palavras-chave;
  • Análise de defeitos.

É visível a quantidade de IA que já consumimos no dia a dia em apps e dispositivos, e a crescente demanda suplica por profissionais de QA aptos para trabalhar com essas tecnologias. Isso significa profissionais com conhecimento em matemática, estatística e dados, principalmente, sem esquecer de habilidades de negócios, o que casa MUITO bem com AI.

Só por curiosidade, já que falamos em Dados, dá uma olhada nessa pesquisa por “data science test” no LinkedIn:

Tendências para a área de QA em 2020

QAOps

Derivado do DevOps (Development + Operations) o objetivo do QAOps é ajudar a integrar times de Desenvolvimento e Qualidade, através de práticas de CI/CD, traçando a pipeline como o fio condutor dessa ligação.

Os dois pontos principais do QAOps são:

  • Atividades de QAs incorporadas a pipeline de CI/CD;
  • QAs trabalhando diretamente incluídos no desenvolvimento, estando envolvidos e incrementando a pipeline de CI/CD.

O termo é interessante, a proposta melhor ainda, e aplicar é mais questão de cultura do que tecnologia, assim como no DevOps.

A ascensão de ferramentas Open-Source

Acompanhando comunidades, times e eventos, percebi que muitos times estão adotando cada vez mais ferramentas de testes Open-Source para aplicar em projetos grandes. Por outro lado, observei o caminho contrário acontecendo com grandes ferramentas pagas.

Já vi e participei de projetos cujas ferramentas de alto custo foram adquiridas, com promessas de um mundo perfeito, e não funcionavam como esperado, sendo substituídas por ferramentas Open-Source.

A maturidade de diversas ferramentas Open-Source cresceu e a adoção seguiu. Algumas ferramentas já praticamente nasceram maduras o suficiente para entrar no mercado. Isso é ótimo, mostra a evolução da área de qualidade, porém é preciso cuidado ao adotar uma ferramenta que está no “hype” e não sofrer com aspectos de manutenibilidade, escalabilidade, arquitetura, e vários outros tópicos que vão de detalhes de implementação até features importantes que ainda não foram implementadas.

Algumas ferramentas que já cresceram em anos anteriores e tendem a crescer em 2020:

  • Selenium
  • Cypress
  • Playwright
  • Appium
  • Robotium
  • Capybara

npm i playwright

Não criem expectativas, não joguem ele no “hype” e ainda não comparem com outras ferramentas existentes. Tem potencial? Não sei, mas que é legal ver a Microsoft no mundo Open-Source, e de testes, é sim!

Conhece alguém que usa? Ainda bem que não, tá na v0.9 ainda.

Selenium 4

A ferramenta mais usada para auxiliar na automação de testes de UI está recebendo um senhor upgrade, de peso! O Selenium 4 teve sua versão Alpha lançada em abril de 2019, e provavelmente vai receber a versão estável em 2020 (ou ao menos uma versão beta).

Como todos nós adoramos uma lista, vou deixar aqui as três mais impactantes atualizações do Selenium 4:

  • Classe ChromiumDriver: para os navegadores Chrome e Edge, teremos esta classe como base, um pouco mais encorpada e mais funcionalidades;
  • Localizadores Relativos: possibilita localizar elementos Web a partir de seu posicionamento em relação a outros elementos;
  • Suporte ao ChromeDevTools: aqui, o Selenium será capaz de acessar e manipular aspectos do ChromeDevTool, como: conexão, cache, performance, console, entre outros.

Selenium 4 está na versão 4.0.0.0-alpha-4, e clicando aqui você encontra uma lista completa de todas as features e alterações que estão sendo lançadas.

QA shift left

Não é uma técnica inovadora, muito menos uma ferramenta super tecnológica, nem nada além de iniciar os testes antes de começar o desenvolvimento. Se parece estranho, então segue aqui e vamos falar sobre.

De cara já tem um gráfico aí, sen-sa-ci-o-nal:

Tendências para a área de QA em 2020

Um bug encontrado com o software já em produção tem o custo de resolução MUITO maior do que o mesmo bug encontrado em fase de testes. Já que é assim, se o QA começar a testar antes da implementação, os bugs encontrados terão um custo menor ainda?

Sim! Esse é o principal objetivo do “Shift Left”, uma menção a fase de desenvolvimento cujo QA pode atuar para minimizar custo através da prevenção de bugs. Genial na verdade, esses bugs não vão nem acontecer.

Para isso, é preciso cultura, e a área de QA em 2020 pode ajudar:

  • Se envolvendo com a fase de levantamento de requisitos e negócios;
  • Trabalhar fortíssimo em cima de comunicação com o time;
  • Se envolvendo com a fase de implementação;
  • AUTOMATIZANDO testes. Sem automatizar não dá pra mover pra esquerda não colega, quem vai rodar as regressões, validar as implementações e fazer aqueles re-testes tediosos?

Parece estranho ter esse item no meio de tantas outras tendências modernas, frameworks novos, IA, etc., mas o fato é que poucos usam e caso bem aplicado, gera valor, e gerando valor, vira tendência na sua empresa, no seu time, na sua carreira…

No final das contas, o que mais desejo é ter lhe ajudado a entender melhor sobre algumas perspectivas para área de QA em 2020 de mercado, itens para estudar ou ao menos como curiosidade. Obrigado por ter ficado até aqui.

Fontes

– Vídeo Júlio de Lima: https://www.youtube.com/watch?v=H2YdIamkvUY;
– Vídeo Execute Automation: https://www.youtube.com/watch?v=VxQKMLy7Cvk;
– Modern Testing Principles:https://www.ministryoftesting.com/dojo/lessons/modern-testing-principles;
– Programming Languages and Automation testing tools to Learn in 2020: https://www.youtube.com/watch?v=j9xrsweADP4&feature=youtu.be;
– Vídeo Filipe Deschamps:  https://www.youtube.com/watch?v=5WwFXeHSZHE;
– QA Intelligence: https://t.co/QVYlKAXJkX?amp=1.

Thiago Goulart é formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela FATEC, apaixonado por Qualidade de Software e principalmente por automação de testes. Já passou por experiências como desenvolvedor e Coordenador de Projeto. Nas horas vagas toca violino, assiste séries e joga CS.

Leia agora nosso e-book sobre: Como apostar em Qualidade vai diminuir o time to markt da sua aplicação

Quer acelerar a transformação digital da sua empresa?_

Nós te ajudamos a prever tendências e alcançar objetivos futuros.

Telefone +55 (11) 3504-1100 Email contato@programmers.com.br                    Entre em contato